Pesquisar
Os Inúteis e A Voz da Lua de Fellini em versão restaurada
Filmes integram o ciclo Essencial Fellini no Cinema Medeia Nimas, O Cinema da Villa e Cinema Trindade. 

Depois de La Dolce Vita (1960), A Estrada (1954), Fellini 8 ½ (1963) e Julieta dos Espíritos (1965), regressam às salas de cinema, em versão restaurada, Os Inúteis (1953), primeiro sucesso internacional de Fellini, e A Voz da Lua (1990), derradeira obra do cineasta.

Os Inúteis (1953) retrata a vida de cinco jovens (“os inúteis” do título) que sonham com aventuras e do dia em que irão deixar para trás a pequena cidade costeira onde arrastam a existência. Como quem tenta encontrar um sentido na vida provinciana, preenchem o vazio dos dias com namoricos e farras, às custas das suas famílias.

Primeira obra semiautobiográfica do cineasta, o filme recebeu o Leão de Prata no Festival de Veneza e foi nomeado para o Óscar de Melhor Argumento Original. Regressa às salas de cinema a partir de amanhã, dia 3 de Setembro.

A Voz da Lua (1990) foi o ponto final da obra de Federico Fellini. Caído no esquecimento, apresenta-se como o filme de luto de uma sociedade que tinha o cinema no centro.

Ivo Salvini, interpretado por Roberto Benigni, é um lunático visionário de alma inocente. Delicia-se com a vida provinciana e nutre um amor desmesurado por Aldina, a mulher que ele diz ter o rosto da Lua. Um retrato do louco e do moderno para redescobrir nos cinemas a partir de 10 de Setembro.

O Essencial Fellini visa comemorar o centenário do grande cineasta italiano. É uma iniciativa da Risi Film e Alambique, com o apoio da Festa do Cinema Italiano e do Istituto Italiano di Cultura, em colaboração com o Cinema Medeia Nimas (Lisboa), O Cinema da Villa (Cascais) e o Cinema Trindade (Porto).

03-09-2020